domingo, 11 de dezembro de 2011

Consultas Médicas no SUS? Desista.


Oi. É to indignada mesmo. Vou contar por que... Está com tempo? A história é longa e eu espero sinceramente não morrer enquanto escrevo isso. Drama? Não, é sério. 
Estou a uma semana sendo acometida por fortes dores de estômago e de cabeça e pelo que eu saiba, isso pode ser qualquer coisa, desde gripe até meningite. Tive pesadelos essa noite e acordei com a pressão muito baixa, os olhos ardendo e os pulsos travados; honestamente, eu não conseguia nem me levantar. Sério. Parece que estou exagerando, mas não é bem assim.
Meu pai me levou no posto de saúde central por que eu estava com muita febre mas até aí beleza. Nem tinha tanta gente assim no posto do SUS e então não demorou muito para que me chamassem.
Quando entrei no consultório, me assustei. Havia cinco médicos lá dentro, todos sentados e conversando alegremente, como se não houvesse um menino de três anos chorando de dores de ouvido lá fora. E pelo que eu saiba, eu tenho direito a privacidade nas consultas. Um dos médicos que conversavam se levantou para me atender e então lhe contei que sentia fortes dores de cabeça e no estômago, que minha pressão não estava la muito boa e que antes de sair de casa havia medido minha febre e estava bem alta. Uma outra médica se levantou para medir minha febre e só. Sim, só isso mais nada.
O médico que me atendia olhou bem sério para mim e começou a prescrever remédios que quando cheguei em casa percebi que não tinham nada a ver com a dor que sentia.
O homem não mediu minha pressão, nem olhou meus pulsos travados, nem minha garganta, nem meus olhos, nem meu coração nem nada que tivesse que ver. Só simplesmente me transcreveu remédios e disse: "Se não melhor, vá ao hospital" Pronto, só isso, mais nada. E me mandou embora.

Minha indignação não é o fato de ter me dito isso e me transcrevido remédios nada-a-ver-com-a-vida. Minha indignação é por que pessoas morrem todo dia por falta de qualificação na saude publica. Minha indignação é por que os médicos simplesmente são pagos para te fazer viver, não para dar palpites.

Queridos médicos, se vocês lerem isso, por favor, coloquem a mão na conciência e pensem que TODA a população confia em vocês e se continuarem dessa forma, não vai dar certo. 

Indignadamente,
KRIS

Nenhum comentário:

Postar um comentário