sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Preconceito

Ó... Esse texto não deveria existir!

Preferia não ter começado e menos ainda ter concluído. Seria muito bom se não fosse publicado e, sobretudo, o mundo seria melhor se não tivesse a necessidade de escrevê-lo. Isso tudo, é claro, num mundo ideal: onde as pessoas se respeitassem, priorizassem sentimentos como amor, generosidade, humildade, e compreendessem que o próximo é tão estranho e tão especial, tão diferente e tão igual, e tão dono desse mundo quanto qualquer outro. Ah, e onde chocolate e pizza não engordassem tanto e que tivessem máquinas de teletransp... pronto, parei.
O lance é enquanto o ideal não se concretiza, muita gente segue morrendo e sendo agredida pela intolerância e preconceito de quem se acha de algum modo melhor ou superior - ou o dono da verdade, ou a Rainha de Copas, ou a Umbrella Corporation...
Entre mais ou menos 7 bilhões de pessoas neste planeta, quem tem poder pra julgar e dizer quem deve ter mais direitos? Quem é o chefe da bagaça? Esse jogo tem dono? Tem, e faz de conta que sou eu. Fiquem ligados nas ordens:
-1- Dane-se quem gosta de azeitona! Se eu não gosto, não quero que seja cultivada. Nunca mais ninguém vai comer esse troço caroçudo aÊ. Blergh! E ne alguém comer azeitona em público, pode bater que minha lei acoberta. (u.u)
-2- Quem tem IMC abaixo de 17 vai receber salário abaixo da média e vai frequentar instituições de ensino com estrutura precária. Sabe por quê? Por que eu quero. Mwahahahaha... e tô com inveja mesmo (u.u²)
-3- Tem que acreditar em tudo o que eu acredito (inclusive em fadas e gnomos). Vou publicar um livro em fascículos, com gente que eu acho legal na capa, e aí vocês decoram tudo o que está escrito ali, viu... comecem por essa: tu-do-o-que-a-Kris-a-cre-di-ta-tá-cer-to. Tá? Tá. (u.u³)
CURTIU ISSO? DÚVIDO.
Estamos (mal, muito mal mesmo) acostumados a ler/ver absurdos e não questioná-los: um menino que morre apanhando por amar e manifestar carinho por outro, uma mulher que é torturada por ter sua própria opnião, uma pessoa simples que é humilhada em um estabelecimento mais refinado, etc...
PRECONCEITO É AQUILO QUE DIVIDE A RAÇA HUMANA EM VENCEDORES E PERDEDORES QUANDO NA REAL SOMOS TODOS JOGADORES - NOSSO PRINCIPAL ELO É JUSTAMENTE NOSSA DIVERSIDADE DE CORES E ESTRATÉGIAS. É UM JOGO DA VIDA, E O OBJETIVO É A FELICIDADE.
Né? Né!

Nenhum comentário:

Postar um comentário