quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Chaves


Tocava um som alto, seus cabelos escuros estavam presos em um coque alto, ela apenas de calcinha e sutiã, ambos pretos, se olhava no espelho, via o que não gostava, nada ali agradava; a cor da sua pele, seus olhos, seu peso… as marcas em seus braços, mas as marcas eram inevitáveis, e ela sabia que faria mais algumas dali alguns segundos, ela estava sozinha em casa, a porta do banheiro estava aberta, ela se sentou no chão, e o fez.
Apenas se deitou ali, no chão gelado e esperou parar de sangrar, acabou adormecendo, seus pais não voltariam mesmo…
Acordou de manha com a claridade nos olhos e com um calor diferente envolvendo seus braços, seu corpo doía ao abrir os olhos ela percebeu que ele estava lá, o único no qual confiara uma copia de sua chave, ele. Não era namorado, nem ficante, não havia malicia, mas havia algo, mais forte do que qualquer explicação. Era apenas ele.
Ele estava acordado, olhando para ela, quando acordou, e olhou em seus olhos, jurou que viu uma lagrima escorrer por sua face carnuda, ela o fazia sofrer, isso era egoísta. Um motivo para mantê-lo por perto, sua sanidade, toda ela se perderia sem ele por perto.
Mylena

Nenhum comentário:

Postar um comentário